Como a drenagem linfática ajuda na redução do inchaço e celulite

Inchaço, celulite… esses males femininos assombram a vida da maioria das mulheres. E, mesmo sendo comuns, incomodam e incentivam a busca por tratamentos estéticos. Mas, calma que para tudo existe solução!

Uma das preferidas é a drenagem linfática, que traz uma série de benefícios para o corpo, incluindo reduzir a celulite e promover o bem-estar geral. Ela é uma técnica de massagem que garante efeitos contra edemas de origem linfática, indicada também para pós-operatórios.

Muita gente costuma dar os créditos da perda de peso à drenagem linfática, mas isso só acontece porque existe a perda de líquido durante a mesma, o que acaba confundindo.

Para entender melhor o que acontece, explicaremos seus benefícios e como ela funciona a seguir:

Como a drenagem linfática funciona no corpo?

O inchaço pode estar diretamente relacionado à má alimentação e ao mau funcionamento dos rins. Caso esse inchaço aconteça na região dos braços ou das pernas, é sinal que o problema pode ter ligação com o sistema linfático ou com o de circulação venosa. Para esses últimos, o tratamento com a drenagem é mais eficaz.

O sistema linfático é responsável por trabalhar com a circulação arterial e venosa. Dentro dos vasos linfáticos, circula um líquido chamado linfa. Ele possui proteínas, microrganismos, células mortas, glóbulos brancos e células sanguíneas, mas também toxinas e bactérias.

Sua principal função é limpar o sangue de impurezas, trabalhando em conjunto com os anticorpos do sangue. Apesar da linfa percorrer o sistema linfático, ele não tem um mecanismo de bombeamento. A drenagem, portanto, entra como um tipo de terapia para que a linfa flua com mais facilidade.

Além disso, reduz o inchaço generalizado ou local, que pode ser causado por um congestionamento de líquidos acumulados entre células e resíduos metabólicos.

Como a drenagem linfática é feita?

Na maioria das vezes, a drenagem linfática é feita de forma manual, em movimentos leves, com pressão em bracelete. Para surtir efeito, precisa ser feita sobre o trajeto dos vasos linfáticos, em direção ao gânglio linfático.

No entanto, cada região do corpo pede movimentos diferentes — na barriga, por exemplo, o movimento deve ser feito até a virilha, já para braços e tórax, vai em direção às axilas. O importante é que ele termine em algum gânglio linfático.

Esse gânglio, de preferência, deve ser esvaziado antes da drenagem para que a mesma seja mais eficiente.

Alguns estabelecimentos oferecem o tratamento com aparelhos da endermologia, porém ele não é tão eficiente quanto o manual. Apesar de possuir mecanismos de vácuo e rolamento, os aparelhos não têm a capacidade de focar esforços em áreas mais necessitadas, vantagem do processo feito pelas mãos de um profissional.

É possível eliminar celulite?

Em alguns casos, sim. A celulite pode aparecer quando há problemas de circulação da linfa, mas também pode ser resultado de uma má alimentação ou da falta de exercícios.

Na primeira das hipóteses, a celulite acontece porque a linfa não dá conta de toda a limpeza. Assim, algumas impurezas acumulam-se debaixo da pele e se misturam com gordura, criando entupimentos sólidos sob a pele.

É aí que entra a drenagem linfática, soltando esses nódulos entupidos e ajudando a eliminar líquidos e toxinas acumuladas.

Quando entrar com a drenagem linfática?

Entenda seu corpo e fique atenta a sinais de que seu sistema linfático está congestionado! Eis o que pode chamar sua atenção:

  • anel apertado nos dedos;
  • dores pelo corpo ao acordar;
  • sentimento de cansaço;
  • inchaço e retenção de líquidos;
  • coceira na pele;
  • ganho de peso e gordura abdominal;
  • glândulas inchadas;
  • imunidade baixa;
  • seios inchados ou doloridos a cada ciclo;
  • pele seca;
  • acne;
  • dores de cabeça amenas.

Quais os benefícios da drenagem linfática?

Além de diminuir o inchaço e ajudar no combate à celulite, a drenagem linfática traz uma série de benefícios para a saúde, entre eles:

1. Recuperação pós-cirurgia

A drenagem linfática pode ajudar com a recuperação depois de cirurgias. Esse tipo de massagem regenera tecidos e pode reduzir a chance de cicatrizes em locais que receberam incisão. Além disso, acelera a regeneração de células.

Ela não deve ser feita logo após a cirurgia. O recomendável é esperar, pelo menos, seis semanas antes de começar o tratamento ou até o cirurgião liberar.

2. Melhora do sistema imunológico

Como explicamos acima, o sistema imunológico está conectado ao linfático. Na verdade, se a circulação de materiais do sistema linfático diminui, o sistema imunológico enfraquece.

Com a drenagem, há uma melhora em ambos os sistemas e a produção de anticorpos aumenta. Ela também pode reduzir inflamações no corpo que causam doenças como a artrite.

3. Relaxamento

A maioria das massagens possui efeito relaxante sob o corpo, principalmente aquelas que envolvem o toque de especialistas. No caso da drenagem, esse efeito é potencializado por sua capacidade de reduzir dores corporais. O ritmo, a pressão e os movimentos do tratamento funcionam para diminuir o estresse e promover bem-estar.

4. Efeito detox

Gorduras e carboidratos demais, o estresse do dia a dia, a falta de exercícios físicos… Tudo isso faz com que o sistema linfático dê uma desacelerada, fique lento e ineficaz. A drenagem linfática entra como uma forma de eliminar esses venenos do corpo, desintoxicando-o.

5. Melhoria na amamentação

O leite materno é rico em nutrientes e anticorpos, sendo a forma mais saudável de se alimentar o bebê. Entretanto, complicações como ductos entupidos, dor nos seios e ingurgitamento são comuns — e desencorajadoras.

Ainda que essas complicações possam melhorar com o tempo, a drenagem linfática acelera esse processo, desentupindo ductos e reduzindo o inchaço provocado pelo ingurgitamento, o que atenua as dores. 

Há alguma contraindicação?

Em pacientes com câncer, especialmente quando o mesmo está situado no sistema linfático, a drenagem não é indicada, pois existe o risco de metástase.

Quando há acne severa, de graus 3 ou 4, o tratamento deve ser evitado também, uma vez que pode piorar as lesões ou infeccionar feridas abertas.

Quantas sessões são necessárias?

Assim como qualquer outro tipo de tratamento, uma única sessão de drenagem linfática mostra resultado. Porém, quando é feita de forma frequente, tem efeitos mais significativos.

Ela é indicada de uma a três vezes por semana. A repetição é importante para evitar a retenção de líquidos, que pode voltar em até sete dias dependendo do consumo de sódio e fibras.

Para potencializar os efeitos da drenagem, capriche em uma alimentação saudável e se proponha a fazer atividade física regular. Vale até caminhar, o que não pode é ficar parada! Se quiser ficar por dentro das últimas novidades de beleza, aproveite para assinar nossa newsletter. 

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"